Roberto Livianu

Procurador de Justiça criminal em São Paulo, integra o Ministério Público desde junho de 1992, sendo graduado e doutor em direito pela USP. É articulista dos jornais Folha de S.Paulo e O Estado de S.Paulo e comentarista do Linha Direta da Justiça da Rádio Bandeirantes, sendo escritor, professor e palestrante.

09 de novembro de 2020 | 21:33

Domingo é o dia D

Dia de renovação da nossa representação política, dia de renovação de nossas esperanças num país mais justo, ético, com mais diversidade, mais democrático e mais republicano.

A vida pulsa, vibra, acontece em cada uma das nossas cidades. Precisamos valorizar as escolhas dos Prefeitos e das Prefeitas e dos Vereadores e das Vereadoras, pois terão protagonismo nos próximos quatro anos.

Infelizmente, muitas vezes as escolhas são impulsivas, irrefletidas, irresponsáveis e precisamos, mais do que nunca de decisões sábias e conscientes nestas eleições. Antes de mais nada, comprometidas com a luta anticorrupção.

Qualquer espécie de mancha que comprometa a trajetória do candidato ou candidata devem ser suficientes para ter o nome riscado, além da necessidade imperiosa de renovação, diante dos políticos profissionais que permanecem em Câmaras Municipais há 4, 6 ou mais mandatos.

O povo tem o poder de arejar. Penso que a ideia de dois mandatos consecutivos seja extremamente razoável no mesmo cargo, sem esquecer da importância de abrir espaços para mulheres, negros e segmento LGBTQI+ para termos uma democracia representativa de verdade, já que são concretamente sub-representados politicamente.

Jamais se pode vender o voto, o que, além de ser crime, prejudica a todos e todas!